Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Os Comediantes

We mustn’t complain too much of being comedians—it’s an honourable profession. If only we could be good ones the world might gain at least a sense of style. We have failed—that’s all. We are bad comedians, we aren’t bad men.

Os Comediantes

We mustn’t complain too much of being comedians—it’s an honourable profession. If only we could be good ones the world might gain at least a sense of style. We have failed—that’s all. We are bad comedians, we aren’t bad men.

George Papandreou

Notável: «Nunca me ouvirá dizer que, se assumisse as funções de primeiro-ministro, a austeridade não teria de ser aplicada. Não seria era uma prioridade, mas sim uma necessidade». Relacionado com isto e a propósito deste post de Helena Matos, diga-se que a estratégia do BE não podia ser mais clara: fazer tudo o que está ao seu alcance para derrubar o actual Governo, porque basta colocar o PS no poder no contexto actual para este rapidamente transformar-se no PASOK português e o BE no Syriza. Mas perceba-se: o PS transforma-se no PASOK português com a nulidade do Seguro ou com o bem-amado Costa. A necessidade do PS espernear contra a troika e com a senhora Merkel é fruto disso mesmo. O PS sabe que, tal como as coisas estão, não tem condições para governar. Quando Louçã afirmou que o «PS é um partido só de protesto», estava a acertar na mouche: se o PS tornar-se um partido no poder, sem uma mudança radical na política europeia, deixa de ser partido. Pelo menos, deixa de ser o partido que conhecemos hoje em dia.

1 comentário

Comentar post