Figura de urso

O economista Luís Cabral, um daqueles com um percurso académico notável e que é conhecido de boa parte dos alunos de economia por culpa deste livrinho, aqui há não muitos anos, quando a crise do subprime com origem nos Estados Unidos começou a fazer sentir os seus primeiros efeitos a sério na Europa, foi convidado de uns Prós & Contras. A participação era feita por satélite a partir dos Estados Unidos e Fátima Campos Ferreira queria sacar o máximo de bitaites ao seu convidado especial no mínimo tempo possível. Se Cabral é economista e o assunto daquele momento era a crise internacional, toca a encharcar o seu convidado com perguntas sobre os efeitos a esperar dessa crise e formas de solucioná-la. Infelizmente para Cabral, como seria de esperar dado o tema em análise, aquele tipo de perguntas seria melhor dirigido, permitam-me simplificar, a um macroeconomista, o que não é o seu caso. O que fez este então perante tais perguntas? Usou do seu estatuto de economista para mandar uns bitaites para o ar e deixar a FCF contente da vida? Não, tentou deixar imaculada a sua posição de académico sério e respeitável e começou praticamente todas as respostas com a expressão «há colegas meus que» e por ai adiante. Serve este texto para dizer que tive paciência e vi isto. Bem como li isto e isto. E, sobre outros assuntos, já tinha escrito isto e isto. A sério que não percebo como é que Pedro Lains, cujo trabalho enquanto historiador económico, que não fiquem dúvidas a esse respeito, também deve fazer parte da aprendizagem de qualquer aluno de economia, presta-se a esta triste figura.

publicado por Mr. Brown às 14:50 | link do post | comentar