Repartição de sacrifícios

Se o artigo 29º ou 77º foram declarados inconstitucionais pelo tribunal político que tem a cobertura política do velho marreta, não resta alternativa ao Governo que não demitir-se. Que deixem a outros a tarefa de fazer uma consolidação orçamental que estará cada vez mais forçada a ser feita pela via do aumento de impostos generalizado a toda a população portuguesa. Um aumento ainda maior do que aquele que já está consagrado no actual orçamento. O homem do sistema, funcionário público toda a vida e pensionista acima de Presidente, professor doutor Aníbal Cavaco Silva, a quem dei o meu voto e tornaria a dar, será o vencedor desta batalha, mas a guerra ficará longe de estar terminada. Entretanto, crescimentistas ao poder! E percebe-se, cada vez melhor, o silêncio de Cavaco ao longo do seu primeiro mandato: um misto de defesa dos seus interesses pessoais, era preciso assegurar a reeleição, e concordância com o caminho que o outro seguia.

publicado por Mr. Brown às 11:40 | link do post | comentar