Sobre o histerismo

Desculpas não se pedem, evitam-se. Mas continuemos: ao nível da responsabilidade pelo buraco do BPN que todos pagamos é muito maior a quota parte que cabe a Carlos Zorrinho do que a que cabe a Franquelim Alves, se é que cabe alguma a este último. Um esteve míseros 10 meses ligados à SLN na fase em que a própria SLN começava a comunicar ao regulador as fraudes de Olveira e Costa e companhia; o outro esteve desde sempre no Governo de José Sócrates, o mesmo Governo que nacionalizou o banco e que, sobretudo, geriu pessimamente a situação do banco nacionalizado, arrastando o processo e intensificando os prejuízos do mesmo que pesam agora no bolso do contribuinte. Não fiquem dúvidas: este secretário de Estado não devia ter sido escolhido, mas se é por uma suposta associação do próprio ao buraco do BPN que entrou-se no delírio dos últimos dias, também tenho a minha proposta: até por uma questão de coerência, a todo e qualquer cidadão ligado ao Governo de José Sócrates, o mesmo Governo que promoveu igualmente Constâncio para a vice-presidência do BCE, deve ser aplicado tratamento de choque igual ao que está a ser aplicado a Franquelim Alves. Obrigado.

Mr. Brown às 19:06 | link do post | comentar | favorito