Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Os Comediantes

We mustn’t complain too much of being comedians—it’s an honourable profession. If only we could be good ones the world might gain at least a sense of style. We have failed—that’s all. We are bad comedians, we aren’t bad men.

Os Comediantes

We mustn’t complain too much of being comedians—it’s an honourable profession. If only we could be good ones the world might gain at least a sense of style. We have failed—that’s all. We are bad comedians, we aren’t bad men.

O tempo político

«Portugueses estão preocupados com o dia de amanhã e não com o pós-troika». Tenho lido e ouvido muitas críticas, é quase unânime, ao tema que serve de mote á convocação do Conselho de Estado por causa da sua preocupação com um tempo que não é o tempo que preocupa os portugueses. Não tendo particular gosto, nesta fase do campeonato, em defender Cavaco Silva e muito menos em achar alguma coisa de positivo neste inútil Conselho de Estado, não deixo de discordar desse mar de gente bem pensante. Não duvido que a maior parte dos cidadãos tem a cabeça no que será a sua vida no dia de amanhã e não daqui a cinco ou mais anos, mas não elejo políticos para pensarem o dia de amanhã. Aliás, critico-lhes frequentemente que se regulem por questões imediatistas. Esta preocupação constante com o curto-prazo é em boa parte responsável pela crise que vivemos. Que haja tanta gente que continue sem perceber isso, diz tudo o que é preciso saber sobre a degradação da vida política em Portugal. Mas percebo o motivo de muitas críticas e, por isso mesmo, acrescento: a única coisa que nos faltava é que o Presidente também andasse com a cabeça a pensar em eleições. Passos, Portas, Seguro e companhia são mais do que políticos suficientes a pensarem nisso mesmo.