O tempo político

«Portugueses estão preocupados com o dia de amanhã e não com o pós-troika». Tenho lido e ouvido muitas críticas, é quase unânime, ao tema que serve de mote á convocação do Conselho de Estado por causa da sua preocupação com um tempo que não é o tempo que preocupa os portugueses. Não tendo particular gosto, nesta fase do campeonato, em defender Cavaco Silva e muito menos em achar alguma coisa de positivo neste inútil Conselho de Estado, não deixo de discordar desse mar de gente bem pensante. Não duvido que a maior parte dos cidadãos tem a cabeça no que será a sua vida no dia de amanhã e não daqui a cinco ou mais anos, mas não elejo políticos para pensarem o dia de amanhã. Aliás, critico-lhes frequentemente que se regulem por questões imediatistas. Esta preocupação constante com o curto-prazo é em boa parte responsável pela crise que vivemos. Que haja tanta gente que continue sem perceber isso, diz tudo o que é preciso saber sobre a degradação da vida política em Portugal. Mas percebo o motivo de muitas críticas e, por isso mesmo, acrescento: a única coisa que nos faltava é que o Presidente também andasse com a cabeça a pensar em eleições. Passos, Portas, Seguro e companhia são mais do que políticos suficientes a pensarem nisso mesmo.

publicado por Mr. Brown às 19:21 | link do post | comentar