Ar puro (LXXXIX)


«Incoscientemente, desenvolveu o hábito mais encantador do mundo, o hábito da leitura: não sabia que, assim, estava a construir o seu refúgio para todas as agruras da vida; também não sabia que estava a criar para si próprio um mundo irreal que iria tornar o mundo real do quotidiano numa fonte de amargas desilusões.»

Nota: a cena de um filme na capa de um clássico costuma resultar num quadro absolutamente abominável, onde o editor opta por perder em estética o que ganha em marketing. Não é, por motivos óbvios, o que acontece nesta edição da ASA da obra-prima de Somerset Maugham. Quem quer que se tenha lembrado de ir buscar esta fotografia de Bette Davis e Leslie Howard do filme homónimo de 1934 fez uma óptica escolha.
Mr. Brown às 00:01 | link do post | comentar | favorito