Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Os Comediantes

We mustn’t complain too much of being comedians—it’s an honourable profession. If only we could be good ones the world might gain at least a sense of style. We have failed—that’s all. We are bad comedians, we aren’t bad men.

Os Comediantes

We mustn’t complain too much of being comedians—it’s an honourable profession. If only we could be good ones the world might gain at least a sense of style. We have failed—that’s all. We are bad comedians, we aren’t bad men.

Mr. Brown

foto do autor

Comentários recentes

  • twitter

    Até fui lá espreitar ao twitter.Não passam de umas...

  • Mr. Brown

    Não é amuo. É mudança de vida. :)

  • Izhar Perlman

    Por favor, ajude-me a trazer esta petição para a a...

  • E esse amuo?

    E esse amuo? Continua?

  • Twitter

    E esse Twitter?A passarinhar?Você ficou mesmo amua...

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

subscrever feeds

-

A política e os seus financiadores

O domínio da família Espírito Santo no BES, banco financiador de muita da megalomania de Sócrates, entrou em ruína parcial e a coisa chega a ser deliciosa - ainda que a solução encontrada esteja longe de dar garantias de que o BES entrou num novo ciclo -, só assombrada pelas nuvens negras de que o contribuinte ainda venha a ser chamado a dar uma ajudinha ao banco. Mas, admitindo que, como devia sempre acontecer, o contribuinte vai ficar à margem desta vez, diga-se que a delicia advém desta ser outra machadada no jogo que era habitual por cá entre o poder político, a banca e alguns empresários nacionais. As grandes obras públicas precisavam de financiamento; a manutenção de grandes centros de decisão nacional, também; e a banca queria negócios apetecíveis que gozassem do favorecimento do Estado. Era assim que funcionava o regime pré-troika (com menor intensidade, ainda funciona) e é desses tempos dourados que muitos têm saudades (o BES nem esconde e atira-se logo a Paulo Mota Pinto para chairman da instituição). O que compreende-se: neste jogo de acesso restrito, os interesses de um pequeno grupinho eram protegidos e estavam sempre em primeiro lugar. Políticos, banqueiros e empresários, tudo gente com muito poder; todos a dependerem uns dos outros; todos a protegerem-se uns aos outros. Que Passos, por opção ou outro motivo qualquer, pelo menos na aparência, não tenha cedido à tentação de dar guarida à poderosa família Espírito Santo ou, pior ainda e numa jogada também ela dentro do espírito socrático, aproveitado a fragilidade do banco para levar a cabo um assalto ao BES semelhante ao que fez Sócrates no BCP, são bons sinais. Mas é atentarem na conversa socialista e perceberão que a promiscuidade, provavelmente, não tardará a regressar e em força. O socialismo português, por paradoxal que pareça, uma vez que a aversão à banca encontra-se com maior força à esquerda, é por questões de circunstância muito mais propício a insistir nela (precisa desesperadamente da banca para os seus intentos). A conversa de Costa com a reindustrialização, por exemplo, cheira que vai nesse caminho (e nestas coisas só podemos confiar no olfacto porque medidas específicas nunca as há). Ou seja, mais do mesmo. E não nos esqueçamos, nunca, dessas palavras sábias ditas igualmente por Costa na Quadratura do Círculo: «é preciso pôr a construção a mexer». Mais do mesmo, a dobrar. Concluamos, então, com notícia do início do ano passado: Banqueiros apostam em António Costa. Ó se apostam.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mr. Brown

foto do autor

Comentários recentes

  • twitter

    Até fui lá espreitar ao twitter.Não passam de umas...

  • Mr. Brown

    Não é amuo. É mudança de vida. :)

  • Izhar Perlman

    Por favor, ajude-me a trazer esta petição para a a...

  • E esse amuo?

    E esse amuo? Continua?

  • Twitter

    E esse Twitter?A passarinhar?Você ficou mesmo amua...

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

subscrever feeds

-