Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Os Comediantes

We mustn’t complain too much of being comedians—it’s an honourable profession. If only we could be good ones the world might gain at least a sense of style. We have failed—that’s all. We are bad comedians, we aren’t bad men.

Os Comediantes

We mustn’t complain too much of being comedians—it’s an honourable profession. If only we could be good ones the world might gain at least a sense of style. We have failed—that’s all. We are bad comedians, we aren’t bad men.

Mr. Brown

foto do autor

Comentários recentes

  • twitter

    Até fui lá espreitar ao twitter.Não passam de umas...

  • Mr. Brown

    Não é amuo. É mudança de vida. :)

  • Izhar Perlman

    Por favor, ajude-me a trazer esta petição para a a...

  • E esse amuo?

    E esse amuo? Continua?

  • Twitter

    E esse Twitter?A passarinhar?Você ficou mesmo amua...

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

subscrever feeds

-

O eixo do mal ibérico *

Aqui este pobre coitado contínua desesperado. Percebe-se, o coitado não está com vida fácil. Enquanto os alemães já aprovaram a extensão do programa grego por larga maioria no Parlamento, alguns gregos voltaram às manifestações com vidros partidos, sendo que as divisões no Syriza em relação àquilo que foi acordado continuam a se fazer sentir. Cerca de 1/3 dos deputados do Syriza não gosta do que foi assinado e fá-lo por demonstrar, ao mesmo tempo que é colocado em causa o quê que aquilo que foi assinado obriga e compromete o novo governo em funções (que, aparentemente, assina coisas sem garantir de assegurar todas as implicações legais do que assina). Mais, o superstar Varoufakis, que nas palestras antes de se apanhar no poder era muito assertivo e sabia como resolver tudo, agora, revelando no mínimo amadorismo, tem de perder tempo no twitter a tentar explicar histórias que continuam por explicar (a história em causa está relacionada com algo que muita gente suspeita, para não dizer que existe certeza sobre o assunto: o documento enviado pelos gregos com aquilo que se comprometiam a fazer, teve de ser minimamente negociado com as instituições antes do draft final tornar-se público). Mas há mais: uma das coisas que o Syriza tenta apresentar como uma vitória relativa das negociações com o Eurogrupo é a possibilidade de maior flexibilidade no objectivo para superavit primário. Essa narrativa tem apenas um pequeno problema (bem sabemos como o diabo pode estar nos detalhes): os gregos tinham um objectivo que estava fixado para um país que já tinha alcançado superavit, contudo, desde que ficou claro que o Syriza ia conquistar o poder, parte dos gregos cortaram nos impostos que pagavam e o superavit que já tinham, se não virou défice, desapareceu quase por completo, o que significa que qualquer potencial ganho de menor austeridade passível de ser obtido pela flexibilidade da meta tenderá a ser perdido por irem partir para o cumprimento daquilo com que se comprometerem de um ponto de partida pior. Também por isso, não é de estranhar que para quem vinha com a conversa do fim da austeridade, dê alguma graça ver que já admitem uma contribuição extraordinária dos mais ricos. Mas a austeridade já não tinha acabado? Ou como é sobre os gregos ricos já não conta como austeridade? Com tudo isto, o dinheiro dos bancos, esse, teima em não regressar à Grécia descapitalizada (pelo contrário, continua a sair, o que contradiz declarações do ministro das finanças grego). Mas, enfim, nesta fase do campeonato, quem é que pode dar grande credibilidade a este bando de amadores e utópicos que tomou o poder na Grécia? Eles que continuem a espernear que eu sinto-me muito feliz por ver o meu país a par com a Espanha a ser tratado pelo poder grego como se da sua Coreia do Norte e Irão se tratassem.

 

* como sugerido aqui.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mr. Brown

foto do autor

Comentários recentes

  • twitter

    Até fui lá espreitar ao twitter.Não passam de umas...

  • Mr. Brown

    Não é amuo. É mudança de vida. :)

  • Izhar Perlman

    Por favor, ajude-me a trazer esta petição para a a...

  • E esse amuo?

    E esse amuo? Continua?

  • Twitter

    E esse Twitter?A passarinhar?Você ficou mesmo amua...

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

subscrever feeds

-