Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Os Comediantes

We mustn’t complain too much of being comedians—it’s an honourable profession. If only we could be good ones the world might gain at least a sense of style. We have failed—that’s all. We are bad comedians, we aren’t bad men.

Os Comediantes

We mustn’t complain too much of being comedians—it’s an honourable profession. If only we could be good ones the world might gain at least a sense of style. We have failed—that’s all. We are bad comedians, we aren’t bad men.

Mr. Brown

foto do autor

Comentários recentes

  • twitter

    Até fui lá espreitar ao twitter.Não passam de umas...

  • Mr. Brown

    Não é amuo. É mudança de vida. :)

  • Izhar Perlman

    Por favor, ajude-me a trazer esta petição para a a...

  • E esse amuo?

    E esse amuo? Continua?

  • Twitter

    E esse Twitter?A passarinhar?Você ficou mesmo amua...

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
-

Falha mortal

Muito do que Álvaro Santos Pereira contará no livro que anda a promover - e que não penso ler, quanto mais comprar - corresponde à leitura que fiz perante os factos conhecidos: desde o estilo venenoso e intriguista de Portas, para quem quase tudo vale -, até às divergências com Gaspar, sendo que esta da EDP foi por demais evidente. Mas ler relatos destes, conhecendo o estilo do Álvaro, de gajo com voz grossa que impõe respeito, levam-me a sorrir: «A minha intervenção foi seguida de um silêncio sepulcral». Nesta narrativa, de homem duro que fazia frente à troika, é que é mais dificil de acreditar. E foi essa, desde a primeira hora, a falha do Álvaro: não conseguiu, com credibilidade, impor a sua força de forma a que o levassem a sério. Enquanto ministro, essa falha foi-lhe mortal. Agora, bem pode escrever livros.

O bom político

«Já não há rendas excessivas no sector elétrico». Deve ter razão, por isso é que o trabalho do ministro tem passado despercebido. Enquanto o Álvaro tentava fazer alguma coisa, tudo fizeram para o deitar abaixo. Já com o amigo Moreira da Silva é um mar de tranquilidade. Será porque já fez tudo ou porque faz pouco? Ora pensem lá sobre o assunto.

O "comeback" do Sócrates?

«É certo que bater em mortos pode, no limite, configurar um ato de certa cobardia. O problema é quando os mortos não aceitam a sua condição e insistem no estrebucho típico de quem recusa entender, por teimosia ou incapacidade, que o seu prazo de validade chegou ao fim. É o caso do [quem será?] que [...] numa espécie de comeback ao palco mediático, apontou metas e desígnios, fez recomendações e lançou desafios como se [...] não tivesse ele próprio culpas no cartório por ter feito parte de um Governo que nos conduziu ao estado em que estamos.» José Sócrates? Não, o Álvaro. Este Nuno Saraiva é um gozão. Reparem que concordo que Santos Pereira devia estar calado, mas se há coisa que o ex-ministro da economia não tem no curriculum é ter pertencido a «um Governo que nos conduziu ao estado em que estamos». Quanto muito não teve estaleca para tirar o país do estado em que o meteram. Dai, agora desculpa-se com a dívida. É que se «factos são factos», sendo igualmente um facto que o desemprego já tinha disparado antes deste governo tomar posse (porque seria?), a emigração idem (porque seria?) e que a austeridade (inteligente, talvez?) já era uma realidade (porque seria?), fiquemos por estes e não alimentemos qualquer narrativa fantasiosa.

Péssimo serviço

Num sinal claro de incompetência, porventura explicativo da inexistência de grande interesse por parte de outras operadoras em comprar a companhia, trabalhadores da TAP enganam-se e emitem bilhete de cliente com destino errado. Ou então é tudo propositado, até porque os sindicatos da TAP tudo têm feito para tornar a companhia ainda menos atractiva do que ela já é. Veremos se o tiro não lhes sai pela culatra.

Mr. Brown

foto do autor

Comentários recentes

  • twitter

    Até fui lá espreitar ao twitter.Não passam de umas...

  • Mr. Brown

    Não é amuo. É mudança de vida. :)

  • Izhar Perlman

    Por favor, ajude-me a trazer esta petição para a a...

  • E esse amuo?

    E esse amuo? Continua?

  • Twitter

    E esse Twitter?A passarinhar?Você ficou mesmo amua...

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
-